quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

BOLOS E TOLOS


Os bolos são como as pessoas: há-os belos por fora mas sensaborões por dentro, os que ficam assim com ar de quem recebeu uma carta do director das finanças mas que os pasteleiros exibem com vaidade dando-lhe o nome de “escangalhado” porque apesar das aparências são deliciosos. Depois há os de chocolate, de nozes, de maçã, de ananás, de chiffon, de mármore (salvo seja). Há-os recheados, ensopados e os cobertos de açúcar, de maçapão, de doce de ovos… e ainda há o “pão-de-ló”, que se for húmido come-se que é um regalo mas se for seco embucha. Uma coisa têm, no entanto, em comum: dão-se mal com o salgado!
Não fique o leitor embuchado e se tiver uma ou mesmo duas irmãs que passem as noites a cozinhar bolos, não faça como o outro e defenda-as, porque os bolos, ao contrário dos bancos, mesmo falidos servem para um tiramisu disfarçado ou um pavê requintado.

Na foto:
as irmãs dos banqueiros, toda a noite fazendo bolos!

2 comentários:

  1. Só delícias.

    Nem a famosa cerâmica das Caldas serve de prémio a tais salgados. Esses querem é outras "peças".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha que a loiça das caldas é muito "versátil".

      Eliminar